domingo, 15 de setembro de 2013

Sou errada, sou errante...


Tenho buscado acertar...
Sempre recapitulo meus erros e tento aprender com minha própria história. E sobre os medos que tive, no presente procuro superá-los, procuro não temer os muros que se erguem, o concreto cinza e frio que acerta o estômago e faz com que se deseje no mesmo momento um abrigo num abraço. Seria clichê dizer que vivo em meio a certa confusão, na qual fico no limite entre o fazer ou não, entre ir por essa caminho agora ou adiar um pouco mais a viagem. 
As vezes a vontade de que tudo se simplifique floresce em mim, mas uma parte racional também me diz que tenho certa fraqueza por complicar. É um misto de euforia mas ao mesmo tempo cautela, e nem sempre gosto da ideia de que algumas decisões são exclusivamente de minha responsabilidade. Estou num jogo e já errei inúmeras vezes a bola na cesta, ela volta até mim, respiro fundo e me permito a motivação de que agora este arremesso pode dar certo, de que dessa vez eu posso acertar, eu possa me situar.
Mas será sempre assim, vivemos nessa condição entre erros e acertos, e mesmo que seja cansativo, sempre que a  oportunidade vier, me atrevo a tentar.

Natalia Cayres 


3 comentários:

  1. Oi Natalia querida


    Parece que estou falando através do seu texto...
    Me identifiquei em cada palavra.

    Achei maravilhoso.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  2. Eu adooorei o blog de cara nova! Ficou ótimo.

    E ficarei com essa música pro resto do dia na cabeça... haha

    Bjs

    ResponderExcluir

Conte o seu lado da História!